A História de Mamouletta – Iniciada em Super Street Fighter II X


Por: Arildo “Mestre Ryu” Ricardo

Mélaine Mertens, mais conhecida como Mamouletta no Instagram, é certamente a maior fã de Super Street Fighter II X que vocês encontrarão hoje.

Quem é Mél Mertens ?

Mél tem 30 anos e é natural da França. Sua idade e experiência se confundem e se espelham com o seu conhecimento de videogames e máquinas de fliperama. Sua paixão por jogos vem desde 1987. Nasceu em uma família modesta de quatro filhos (duas meninas e dois meninos) na Zona Norte da França. E por ali morou durante 10 anos antes de se mudar para Bretagne (Britanny).

Na idade adulta, escolheu visitar outras partes da França e foi morar em Grenoble, onde conheceu seu marido Pierre. Ele era dono de uma loja de videogame e ela era apenas mais uma cliente no começo. Hoje casados, possuem duas filhas: Linoa (11 anos) e Rose (6 anos) assim como dois cães: Havane (5 anos) e Namco (5 meses).

Sua ocupação se divide entre dois empregos atualmente. Já viveu diversas experiências ao longo de sua vida, desde: estilista de cabelo, garçonete, gerente de restaurante a camareira de hotel. Agora, ela é secretária e tesoureira do “First Attack“, associação focada em jogos de luta que fundou ao lado de seu marido.

Mél jogou videogames durante toda a sua vida. Tudo começou com as partidas de Alex Kid ao lado de seu irmão mais velho em seu Master System e com Ikari Warrios no videogame Nintendo de sua mãe. Na casa de seu pai, ela o ensinou a jogar Mortal Kombat e Street Fighter II no Mega Drive (SEGA Genesis). – Eu não sabia jogar adequadamente estes jogos naquele tempo, então eu usei Chun-li e farofava o lighting kick (pressionando o botão de chute desesperadamente) ou pulava com chute forte! – Descreve Mamouletta.

Mél perdeu muitos jogos, mas essas memórias compartilhadas com o seu grande irmão sempre serão queridas em seu coração. A “gamer girl” empresária sempre gostou muito de conversar a respeito do que mais gosta: jogar videogames.

Avançando para o seu aniversário de 10 anos, quando pegou o Game Boy, ela descobriu Kirby através do Kirby Pinball e o cultuado clássico Tetris incluídos neste console. Passou incontáveis horas nesse jogo até que seu pai lhe deu o seu primeiro cartucho de Pokémon: Pokémon Blue. – Um novo gênero se abriu para mim, e eu simplesmente precisava capturar todos!  – Descreve com humor. – Só parava de jogar quando a Pokédex ficava totalmente concluída! – Completa.

Quando teve 13 anos, seu pai voltou pra casa com um Playstation que ele acabou de ganhar na loteria. Curtiu as alegrias de Final Fantasy IX, Tekken, Ballistic e assim por diante.

– Então o tempo passou, eu cresci, tive que encontrar um emprego, lidar com a vida e eu esqueci sobre jogos de videogame por um tempo. Até que me deparei com uma loja de jogos retrô. –  Um amigo de Mél a apresentou para o dono e ela sabia que era “ele”. Então se tornou uma cliente regular em sua loja. Voltou a jogar e comprou um antigo Nintendo DS para apreciar algumas jóias de Game Boy Advanced. E então saíram por 8 anos.

Pierre então lhe mostrou alguns de seus gabinetes: uma Blast City com Hokuto no Ken e um novo Astro City com Super Street Fighter II X. Jogos de Arcade se toraram amor à primeira vista.

Porém, Mél já tinha conhecimento sobre jogos de Arcade desde que foi muitas vezes a “La Tête Dans les Nuage” uma loja de Arcade em Paris. Mas a maioria eram gabinetes com jogos de tiro e Dance Dance Revolution e coisas do tipo. -Eu costumava ir lá para jogar Time Crisis 2 a maioria das vezes. – Descreve. Foi neste tempo que conheceu os clássicos e verdadeiros “Candy Cab”, modelos de gabinete com tela grande e espaço econômico bem populares no japão.

 – Mudou a minha vida!  Descreve Mél Mertens, representando o amor pelos fliperamas.

Durante toda a grande parte de sua vida, ela acreditou que o NES seria para sempre o seu sistema favorito, até conhecer o seu novo amor. Questionada de um suposto top 5 favoritos, ela nos revela:

1) Candy Cabs
2) Nintendo NES
3) Neo Geo
4) Game Boy

Sem ordem em particular, ela favorita os principais títulos: Super Street Fighter II X (CPS 2), Kickle Cubicle (NES), Magical Drop 3 (Neo Geo) e a saga de RPG Dragon Quest.

A respeito de toda a vasta coleção de Arcades vista em suas redes sociais, é uma longa história. Seu marido, Pierrot havia dois Blast City e teve que vender um deles por questões financeiras.

No aniversário de 35 anos de seu marido, Mél planejou uma surpresa com seus amigos de toda a França. Desde pessoas que ele conheceu em campeonatos de jogos de luta, fãs casuais de videogame a amigos de toda a sua vida. Juntos, Mél e amigos de Pierrot conseguiram $ 1.300 Euros, o valor ideal para conseguir uma Blast City devidamente restaurada e de volta para o seu lar.

Foi a primeira festa dedicada a jogos de Mél e Pierrot. Todos os seus amigos se juntaram próximos a esses dois gabinetes em sua garagem (que estava em construção naquele momento quando compraram a sua casa).

Desde então, comparam uma Versus City de uma senhora que vivia há 400 km de distância. Custaram apeas 400 Euros, mas em muito mal estado, então tiveram que restaurá-lo por inteiro.

Então, indo a outros torneios, conheceram mais e mais pessoas a partilharem de sua paixão. Uma delas precisava de um lugar para manter seus gabinetes durante o tempo para construir a sua casa (aproximadamente 2 anos). – Ele sabia do nosso projeto (First Attack) então ele deixou voluntariamente os seus gabinetes por dois anos até que tivéssemos tempo para reunir dinheiro suficiente para adquirir o nosso. – explica.

Estes gabinetes estavam em um velho porão desde que chegaram do Japão. Eles estavam do jeito que estavam após 25 anos de explorados em Arcades Japoneses, eles estavam precisando de um monte de limpeza, religação, uma restauração geral para o estado de funcionamento. -Ha muito trabalho a ser feito, mas devemos fazê-los antes do fim dos anos, graças à ajuda de nossa associação. – descreve.


No momento, a associação de Mél Mertens (First Atttack) possui:

1 novo Astro City
1 Astro City
1 Blast City
2 Novos Net City
2 Versus City

Aguardam para serem restaurados:

1 Delta 32
1 Noir Cabinet
1 Lindbergh
1 Egret 2
1 Egret 3
1 Atomiswave
1 Novo Versus City
1 Time Crisis 2 Deluxe Twin

A respeito de família e videogames, Mél descreve que nunca foi problema o tempo para ambos. -Sempre daremos prioridade à família, embora sabemos que é a nossa paixão e não podemos forçá-la aos outros. Mél Mertens é uma “Girl Gamer” bastante reservada à família e amigos, sendo completamente fiel à estes laços. – O envolvimento com os videogames, certamente, veio da sólida apreciação de sua família.

– Minha família é de mente muito aberta sobre videogames, meus dois irmãos são apaixonados também. Minha irmã não é muito, mas ela gosta dos títulos como Twinkles Star Sprites ou Puzzle Bobble.

A vó e mãe de Mél vieram para a inauguração do “First Attack”. –  Elas são muito orgulhosas do que Pierre e eu fazemos! – Descreve. -Elas mostraram grande suporte para os nossos projetos, mesmo não se esquecendo de nos lembrar que ainda temos que encontrar um emprego o quanto antes (risos). -Completa.

– A mãe de Pierre não gosta muito de videogame e prefiro não ter nada a ver com isso. A escolha é dela, e não nos impede de ter uma relação muito saudável com ela e conversa sobre outros assuntos que ela acha mais interessantes.

– Nossas crianças vão ser sempre o centro da nossa vida, e se a associação fosse se tornar um problema para eles, nos levaria tempo para discuti-lo e fazer o ajuste necessário.

Mél descreve que as filhas tomam parte da reunião tão frequentemente quanto o tempo em sua instituição.

– Elas ainda são muito jovens para nos acompanhar em torneios, mas eu não posso esperar (se elas estão interessadas) para fazê-las sentir a atmosfera de uma reunião de Arcades como o verão da HFS.

– Elas estão orgulhosas de nos ver em jornais, na TV e etc. Elas não entendem completamente o que nós estamos fazendo e pensei que este talvez fosse o nosso novo trabalho. Tivemos que explicar que associação é sobre ser voluntário, que partilham uma paixão comum, e que nunca retirarei quaisquer benefícios disso, já que tudo será colocado de volta no próprio projeto.

– Rose, a pequenina, ainda acha ele deve ser considerado um trabalho de tempo integral, vendo a quantidade de tempo e trabalho que estamos colocando nele (risos).


Mél ao lado de seu marido Pierre nas notícias da França recebidas durante o café da manhã.

 

A atração por Jogos de Luta.

– Jogos de Luta são uma descoberta recente em meu “Caminho Gamer”. Só comecei a entendê-los completamente há cerca de um ano. Eu costumava jogá-los quando eu era criança mas era basicamente esmagar botões a maior parte do tempo.

 

Quando conheceu Pierrot, ele já era um veterano na cena, um jogador top de Super Street Fighter II X na França.

-Fui com ele em torneios, torciam por ele, mas eu não joguei. Eu tentei muitas vezes escolher Ryu ou Ken, uma vez que são mais “inicialmente amigáveis”, desde que você saiba como fazer Hadouken, mas eu não me liguei, não gostava, não entendia o jogo.

 

No entanto, um evento no ano passado obrigava a todos terem um passaporte necessário para entrar no local. Mél então descreve como tudo começou – envolvendo a sua relação com os jogos de luta.

– Eu tive que assinar um torneio para ir com Pierre, então tive que aprender o básico de II X. Foi quando conheci o Dhalsim. Foi amor à primeira vista, e eu sabia que seria ele e mais ninguém. Me apaixonei pelo personagem bem antes de amar o jogo em si, então me dediquei um mês explorando um dia após o outro antes do torneio, e obviamente perdi. O torneio estava cheio de uma bela parte de bons jogadores, de REAIS bons jogadores. Uma novata não teria chances. Mas ainda assim, eu estava autorizada a entrar no local, e foi o meu objetivo em primeiro lugar. Foi assim que cheguei aos jogos de luta.

 

APRENDIZADO DE MECANISMOS

-Estou ainda em um nível compreensão básica de SSF II X. Não é que eu seja ruim, longe disso. É que esse jogo é muito profundo, e estamos descobrindo novas tecnologias para este dia. Eu sou uma jogadora iniciante, mas estou sob tutela de um jogador (Pierrot) francês muito bom.

– Eu sou ambiciosa e realmente disposta a melhorar. Eu tenho a chance de estar em um país onde o nível é muito alto. Temos bons jogadores aqui, e tudo o que preciso fazer é se inscrever no maior número de torneios possíveis para encontrá-los e obter mais conhecimento e experiência.

– Ainda tenho um bom conhecimento fundamental de jogos de luta, tendo seguido o Pierre por um número de anos, e tendo organizado estes torneios sozinha, eu aprendi a língua da comunidade pela experiência.

 

EXPERIENCIA COM TORNEIOS

– Quando eu segui Pierre para os seus torneios de jogos de luta, eu sempre assinava para outros torneios. Foi quando eu comece a jogar Magical Drop 3. Estou no top 3 da França, junto com Touakak e Guitoon.

– Também me inscrevi para Twikle Star Sprites, Bubble Bubble e Puyo Puyo – mesmo eu nunca ter aprendido a jogar esse de forma correta (risos).

– Este ano, não havia nenhum torneio de Street Fighter II Turbo planejado na França, exceto o XSB em Lyon em Outubro. Desde que começamos a ir para o HFS, pedimos a eles se nós podemos por um pequeno torneio de 2 contra 2 para II X. Eles montaram um Versus City, com uma configuração de recorde e transmissão, mas infelizmente caiu (caiu TUDO. O Challonge, a câmera, a gravação local… TUDO).

-Mas o jogo seguiu graças ao time HFS. Eles montaram tudo isso só pra nós, enquanto eles tinham seu próprio evento para executar, o HADO (torneio de Third Strike).

-O time HFS é feita de pessoas verdadeiramente grandes, cheias de amor e paixão. Então conseguimos realizar o nosso torneio de equipe pequena, e me juntar com Pierre sob o nome Waku Waku Kokoro Breizhu. Mesmo Rikimaru (o jogador japonês convidado para o torneio Third Strike) ter se inscrito em nosso mini evento, eu e Pierre ainda levamos. Foi a minha primeira vitória em um torneio de Super Street Fighter II X, com o meu parceiro de verdade e amor da minha vida, Pierre.

 

PRECONCEITO E NÍVEL COMPETITIVO

– No momento eu ainda me considero uma iniciante. Para pretender alguma coisa em II X, você precisa se dedicar a horas e hora de treinamento, estudar cada matchup (estilo de jogo), assistir uma tonelada de vídeos e jogar com todos que puder. Mas eu estou decidida a se tornar uma ameaça real no torneio da França. Não há realmente qualquer jogadora competitiva no momento. Porém temos jogadores muito fortes sem intenções de ficar para trás.

– Nunca sofri qualquer preconceito por causa do meu sexo, escolha de jogo ou personagem (Dhalsim é um top tier). A comunidade II X na França é em um primeiro lugar um grande grupo de amigos. Todos nós temos diferentes trabalhos, vida, religião, opção sexual mas quem se importa quando estamos jogando Street Fighter ? Tudo o que importa é o próximo adversário, a ameaça potencial, a evolução do potencial, a correspondência de entrada entre dois jogadores, nada mais.

” – DHALSIM É UMA FIGURA IMPORTANTE EM MINHA VIDA GAMER E SEMPRE CONTINUARÁ SENDO O MEU PERSONAGEM ! “  Mél Mertens (Mamouletta)

 

 

Sobre o cenário feminino na França e aonde deseja chegar.

-Não consigo falar sobre esse assunto pois não estou conectada a estes jogos recentes. Eu sei que League of Legends e Counter Strike tem uma comunidade mais mista, mas como eu não jogo estes jogos, não posso dizer muito sobre isso. Quanto aos jogos de Arcade, raramente vejo mulheres. Eu sei que existem algumas mulheres jogando SFV no entanto.

 

Sobre as dificuldades a respeito de levantar uma instituição de jogos de fliperama.

-Sinceramente, tudo correu tão bem que eu me sinto como se estivesse vivendo um sonho. Criar uma associação na França é realmente fácil. Nós já tinhamos um grande grupo de amigos em nossa região, e um outro amigo nosso se ofereceu para nos emprestar o hardware que precisávamos.

– O único verdadeiro obstáculo, é o mesmo que a maioria dos projetos irá enfrentar: dinheiro. Restauração de Candy Cabs custa caro, nós tivemos que comprar slots, pcb, reparar a tela de chassis e CRT, substituir botões e manetes, substituir os painéis e etc. Isso representa uma grande soma de dinheiro, e nós temos que pouco a pouco realizar o seguimento para desenvolver o nosso projeto.

 

Momentos curiosos com jogos.

– Ainda é extremamente engraçado me ver jogar Mario Kart. Eu estou realmente no meu próprio mundo, dirigindo um carro como uma criança faria. Fazendo careta e rindo como uma maníaca. Parece ser uma das coisas mais engraçadas do mundo para quem está olhando de fora.

 

Momentos tristes ?

– Não é realmente comovente, mas o mais difícil de lidar: a primeira vez que perdi um torneio de Magical Drop 3. Eu nunca tinha jogado contra alguém como Touakak, ele joga com um estilo muito preciso e inteligente, e não consegui pará-lo com a minha pura velocidade. Isso me forçou a perceber que eu não era imbatível nesse jogo.

 

Top 10 Street Fighter.

– O primeiro é óbivo: Super Street Fighter II X. É o único que jogo religiosamente. Eu também gosto de Alpha 3, que eu peguei algumas semanas atrás.

– O que mais odeio? Eu seria a única a odiar isso (risos): Street Fighter V.

– Eu gosto do jogo como é. Mas não gosto das diferentes atualizações de enfraquecimento e fortalecimento dos lutadores. Os jogos estão mudando sem parar ao invés de ficarem da maneira em que foi criado, impedindo que jogadores inovem, graças à nova descoberta: combo, option select e etc. E francamente acho que o jogo é lento e não tem qualquer impacto. Eu sei que isso vai fazer algumas pessoas se afastarem, mas eu prefiro não mentir sobre o meu gosto pessoal.

– Eu estou realmente intrigada com Thrid Strike, Eu não pude jogá-lo corretamente ainda, mas gosto muito do seu potencial.

 

Sobre os jogos: Street Fighter I, Pocket Fighter: Super Gem Fighter Mini Mix, Street Fighter: The Movie, Street Fighter EX, IV e V.

– Adorei a decisão feita pela Capcom entre SF I e II. SF I não trouxe muito aos videogames, considerando que SF II foi a pedra da fundação dos jogos de luta em geral.

– Gosto muito de Pocket Fighter, às vezes jogo com Pierre. Não levamos muito a sério porém, na maior parte é apenas um jogo divertido para nós. A arte é fofa, o sistema de gemas é muito bem feito. Eu gosto disso !

– Street Fighter: The Movie foi um fracasso na época e algo totalmente comercial. Mas hoje não é um jogo ruim para se jogar aleatoreamente, quando você busca entretenimento. Pelo menos Honda é claramente um top tier pela primeira vez (risos).

-Eu não jogo EX, nem IV e nem V. Eu não sou fã dos jogos de Street Fighter que vieram depois e eu não tive a oportunidade de realmente experimenter o EX.

 

Sobre a dificuldade de um jogo como Super Street Fighter II X.

– Bem, eu já toquei nisso com minhas respostas anteriores mas é verdade que o jogo é díficil. O jogo evoluiu para ser realmente profundo, os especiais são difíceis de sair porque a entrada tem que ser perfeita e sábia mas no final é o que mais gosto. Você ganha o que merece, nada mais. Você tem que trabalhar duro e treinar para ficar bom e mesmo que você abata alguém, sempre haverá outro mais forte.

 

Quais são as coisas que faltam em outros jogos da série o que mais gosta ?

– A “premissa intransigência” deste jogo (Super SF II X). Eu sei que é uma maneira estranha de dizer, mas deixe-me explicar: Como eu disse antes, dominar um personagem em II X leva anos de dedicação, horas de jogo, milhares de partidas. Mas cada jogo será diferente, uma vez que muitos elementos são aleatórios: o dano que você lida, a barra de stun (tontura) e etc. Nunca há duas partidas de alto nível que são iguais em II X.

 

Ídolos no cenário de jogadores profissionais.

– Eu sempre vou ser fã número um de Pierre antes de todo mundo (risos). Mas eu realmente gosto de KillerMiller e ElTrouble, um casal americano. Ela joga de Honda e ele joga de Dhalsim. Eu gosto de vê-los porque têm uma aura positiva, sempre sorrindo. Eles não se gabam por isso, mas eles também são muito bons com os seus personagens.

 

Personagens de quadrinhos nos Jogos de Luta.

– Não sei o que pensar sobre isso, a única coisa que me assusta é a crescente importância do dinheiro. Não quero ver o dinheiro como prêmio em toda parte, sendo a única motivação dos jogadores.

– Não vejo os videogames dessa forma, antes de mais nada é uma paixão que divido com meu outro significado e meus amigos. É uma coisa boa ver o videogame torando-se proeminente e respeitado, mas receio que possa ir longe demais e essa chama da paixão se extinguir.


Quem quiser desafiar Mamouletta no Super Street II X, ela pode se encontrada no aplicativo FightCade com o nickname Drillwizit.

 

Sobre os seus dois nicknames, Mél explica.

– Mamouletta foi um apelido que um grande amiga que tive em Grenoble me deu. Hoje em dia não nos falamos mais e não nos vemos. E ém parte minha culpa, eu me mudei para muito longe e eu nunca liguei, eu odeio usar telefone. Eu mantive o apelido por causa dela, eu realmente a amava.

– Drillwizit é simplesmente uma referência ao golpe (parafuso) do Dhalsim com o termo “Deal With It” (conviva com isso).

Se formos traduzir ao pé da letra, seu apelido criativo e sarcástico se refere à “Conviva com o Parafuso do Dhalsim”.

 

O Maior Sonho.

– Se tornar a melhor Dhalsim da França seria um bom passo.

 

Viagens.

– Na verdade, eu já fiz muito isso quando eu era adolescente. Graças ao trabalho do meu pai, eu tinha um monte de oportunidade em campos de férias baratas. Eu fui para a Córsega (uma bela ilha abaixo da França, onde você pode estar tanto no mar e na montanha no mesmo lugar). Fui a Martinica e Guadalupe durante o acampamento de verão quando eu tinha 14 anos. Eu adoraria voltar no tempo, três semanas não era suficiente para experimentar esses lugares bonitos.

– Também fui a Espanha várias vezes (acampamentos de verão também) e para a Irlanda durante uma excursão escolar. Eu não viajei mais para nenhum lugar por um tempo, é um luxo que não posso pagar no momento.

 

O que Mél levaria a uma ilha Deserta ?

– Um facão, claro! Provavelmente acharia tudo oque preciso em uma ilha. Mas um facão iria aumentar a minha chance de sobrevivência! Eu seria capaz de cortar árvores, esculpir madeira para ferramentas, defender-me, matar por carne, usá-lo como conveniente espelho ou para aparar o meu cabelo! PERFEITO!

 

O que não deixa pra trás sem sair de casa.

– Meu telefone. Por mais que eu odeie, eu fico com ele em todo lugar.

 

30 anos de Street Fighter.

– Street Fighter e eu compartilhamos da mesma idade, então eu queria pelo menos mais 30 anos de grande sucesso para nós dois.

 

Para quem sonha viver com videogames.

– Videogame são um prazer, um meio de escapar ou de entreter-se me primeiro lugar. Você tem que manter o equilíbrio entre sua vida profissional, pessoal, familiar, relacionamento e videogame. Se você pode manter essa harmonia, você realmente será capaz de vivenciar plenamente sua paixão.

– Não hesite em conhecer pessoas! Ir para todas as convenções que você pode encontrar, conhecer as comunidades locais, tentar encontrá-los através das redes sociais, a Comunidade de Jogos de Luta é sempre acolhedora.

 

Uma mensagem para o streetfighter.com.br

– Foi um grade prazer responder todas essas perguntas, obrigada por seu interesse por mim, meu caminho de jogadora, meu projeto e minha paixão! Espero conhecê-lo um dia, no Brasil, para um torneio de SSF II X, claro que será sempre bem-vindo à França para o verão HFS 2018 onde também estaremos planejando um torneio!

– X Mania Europa está de volta, obrigado ao First Attack e ao HFS, você vai ter mais informações disso em Novembro.


Agradecimentos especiais à Mél Mertens pela ajuda na tradução para inglês da nossa entrevista e da matéria de seu marido Pierrot para a TV Francesa (vídeo em breve por aqui).

Dedicatórias e Agradecimentos de Mél Mertens e da equipe streetfighter.com.br pela audiência e apoio ao projeto.

” – ZMarion Galo (meu amigo há 15 anos), Brendan Siche (meu tradutor oficial) e Yasmina Magnette (minha querida mãe) ” – Mélaine Mertens (Mamouletta)